SIRVO DE VOZ

Sirvo de voz
para que não sangres
como um galo antes de cantar.

Sirvo de voz
para que passes a tocha
ao filho que se precipita por entre os dedos.

Sirvo de voz
para que o machado se deixe florir
e dê amêndoas ao lenhador.

Sirvo de voz
para que a estrada caminhe ao teu encontro
e traga abrigo e destino.

Sirvo de voz
para que a palavra se exalte
e amotine os que clamam no deserto.

PAULO ROBERTO DO CARMO (1941)
Nasceu em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Poeta, professor e tradutor. Tem participado de diversas antologias no Brasil e em Portugal. Recebeu o Prêmio Nacional de Poesia Alphonsus de Guimaraens, da Fundação Biblioteca Nacional, em 2000. Finalista do Prêmio Açorianos, cidade de Porto Alegre. Principais obras publicadas: Crisbal, o guerreiro (1966 e 2002, 2ª. ed. reescrita); Estação de força (1987); Livro de preceitos (1993); Livro das manhãs (1997); 50 poemas escolhidos pelo autor (2006); À sombra de outra sombra (2010).

Site: http://www.artistasgauchos.com/pauloroberto/

Convite para o lançamento do Jornal Ibero-Americano de Poesia – Coletivo de Poetas Porto Poesia

Convite para o lançamento do Jornal Ibero-Americano de Poesia - Coletivo de Poetas Porto Poesia

Convite para o lançamento do Jornal Ibero-Americano de Poesia - Coletivo de Poetas Porto Poesia

SARAU MARIO QUINTANA SEMPRE! – GRUPOS MARIAS, AMÉLIAS E CAMÉLIAS – diVERSOS – NOS LEMOS

SARAU MARIO QUINTANA SEMPRE! - GRUPOS MARIAS, AMÉLIAS E CAMÉLIAS - diVERSOS - NOS LEMOS

SARAU MARIO QUINTANA SEMPRE! - GRUPOS MARIAS, AMÉLIAS E CAMÉLIAS - diVERSOS - NOS LEMOS

NÓS

Eu e tu: a existência repartida
Por duas almas; duas almas numa
Só existência. Tu e eu: a vida
De duas vidas que uma só resuma.

Vida de dois, em cada um vivida,
Vida de um só vivida em dois; em suma:
A essência unida à essência, sem que alguma
Perca o ser una, sendo à outra unida.

Duplo egoísmo altruísta, a cujo enleio
No próprio coração cada qual sente
A chama que em si nutre o incêndio alheio.

Ó mistério do amor onipotente,
Que eternamente eu viva no teu seio,
E vivas no meu seio eternamente.

SILVA RAMOS (1853-1930)
Poeta parnasiano pernambucano.
Fundador da cadeira nº 37 da Academia Brasileira de Letras.

TÉDIOS

Como um fluido a vagar pelos espaços,
A alma em crepúsc’los outonais aberta,
Surpreendi-me ao claror da luz incerta
Caminhando a chorar para os teus braços.

Tu vinhas para mim a lentos passos
Sobre rosais floridos! e entreaberta
A tua boca me sorriu, desperta
Toda a harmonia imácula dos traços.

Caía um poente evocativo e frouxo.
Da mesma paz dos mortos coroada,
No céu a lua e a meu lado um mocho.

As tuas tranças… Quantos tédios velhos…
Languescência eteral de alma exilada
Contemplando as visões dos Evangelhos…

ÁLVARO VIANA (1882-1936)
Poeta simbolista mineiro.

A GREGÓRIO DE MATOS

És Pátria Perpétua
Palco de onde brotam flores
Rebentos, também, de críticas sociais…
Feitiço de guerra justa…
Desperta a aurora deste chão
Muitos séculos depois
BOCA SANTA!
Beija e ama as tuas Angélicas
através dos tempos
Segue pelos matos da verdade, Gregório,
E declara a GUERRA DOS POETAS
Que põe em prontidão a Humanidade!

Fernanda Pedrazzi

ÁLVARES DE AZEVEDO DE BOLSO: LANÇAMENTO DO LIVRO E SARAU POÉTICO-MUSICAL

Convidamos toda comunidade cultural do Estado do Rio Grande do Sul para prestigiar o lançamento do livro

ÁLVARES DE AZEVEDO DE BOLSO

Obra do pesquisador e presidente do Partenon Literário, Benedito Saldanha

Dia 12 de abril de 2011, terça-feira, às 19h
Centro Cultural CEEE/Erico Verissimo – 4º andar
Rua dos Andradas, 1223 – Centro de Porto Alegre
Rio Grande do Sul – Brasil

Durante a sessão de autógrafos será apresentado um Sarau Poético-Musical em homenagem ao maior poeta do romantismo nacional, Álvares de Azevedo.

Contamos com sua presença.

Entrada Franca

Participações Especiais: Francisco Castro, Nabil Kansao, Bira JR, Paulo Bacedônio, Daniel Brasil.

APOIO: ALAPOA – Clube Literário Jardim Ipiranga – Jornal RSLetras – Sociedade Partenon Literário – Instituto Cultural Português -Instituto Cultural Lobo da Costa – Casa do Poeta Latino-americano – Centro Cultural CEEE Erico Verissimo – Academia Letras do Brasil – Memorial da Câmara Municipal

PROJETO “VERÃO COM POESIA” – MARIAS, AMÉLIAS E CAMÉLIAS

MARIAS, AMÉLIAS E CAMÉLIAS

MARIAS, AMÉLIAS E CAMÉLIAS

VOZES POÉTICAS UNIVERSAIS: Poesia das Américas do Norte, Central e do Sul

CONVITE

A Casa de Cultura Mario Quintana apresenta o quinto espetáculo do projeto VOZES POÉTICAS UNIVERSAIS 2010, idealizado e coordenado pelo poeta, editor e pesquisador gaúcho Paulo Bacedônio.

O projeto compreende uma série de cinco espetáculos bimensais, sendo este o último, temático sobre a Poesia das Américas do Norte, Central e do Sul, com a leitura de poemas de poetas clássicos e contemporâneos nascidos neste continente.

Dentro das atividades do espetáculo haverá uma homenagem especial à poeta chilena Gabriela Mistral, Prêmio Nobel de Literatura de 1945.

Destaca-se ainda que será editado especialmente para este espetáculo o livro de bolso Quatro poetas das Américas, em uma edição semiartesanal e numerada, que será sorteada para o público.

O QUÊ: POESIA DAS AMÉRICAS DO NORTE, CENTRAL E DO SUL
Quinto espetáculo do projeto Vozes Poéticas Universais 2010

QUANDO: Quinta-feira, 16 de Dezembro de 2010, às 19horas

ONDE: Quintana’s Bar / Acervo Mario Quintana – Mezanino
Casa de Cultura Mario Quintana
Rua dos Andradas, 736
Porto Alegre – Rio Grande do Sul
Brasil

ENTRADA FRANCA

Apoio Cultural: Instituto Cultural Português, Academia de Letras do Brasil, Casa do Poeta Latinoamericano e Instituto Amigos do Livro Argentino e Americano

Visite o Blog Farolante, de arte e cultura:
https://farolante.wordpress.com

LER E ESCREVER POESIA

A ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DAS LETRAS E DAS ARTES
E A LIVRARIA SAPERE AUDE!

CONVIDAM
PARA A PALESTRA DE GILBERTO WALLACE BATTILANA

LER E ESCREVER POESIA

o ato de escrever
a composição do poema
os múltiplos conceitos de leitura
ler e interpretar um poema

dia 17 de novembro de 2010
19 horas

Livraria SAPERE AUDE!
Rua LOPO GONÇALVES, 33
Porto Alegre – RS

Autógrafos do livro DO AMOR AO POEMA