Programação – novembro 2011 – Teatro de Arena – Porto Alegre – RS

Programação - novembro 2011 - Teatro de Arena - Porto Alegre - RS

Programação - novembro 2011 - Teatro de Arena - Porto Alegre - RS

Anúncios

RECITAIS DO VIOLINISTA GAÚCHO CARLOS BICA EM PORTO VELHO – RONDÔNIA – 2011 – II

RECITAIS DO VIOLINISTA GAÚCHO CARLOS BICA EM PORTO VELHO - RONDÔNIA - 2011 - II

RECITAIS DO VIOLINISTA GAÚCHO CARLOS BICA EM PORTO VELHO - RONDÔNIA - 2011 - II

RECITAIS DO VIOLINISTA GAÚCHO CARLOS BICA EM PORTO VELHO – RONDÔNIA – 2011 – I

RECITAIS DO VIOLINISTA GAÚCHO CARLOS BICA EM PORTO VELHO - RONDÔNIA - 2011 - I

RECITAIS DO VIOLINISTA GAÚCHO CARLOS BICA EM PORTO VELHO - RONDÔNIA - 2011 - I

SOCIEDADE PARTENON LITERÁRIO HOMENAGEIA SERAFIM DE LIMA FILHO

CONVITE

O ano era 1997. Em Porto Alegre, numa residência do bairro Partenon, um grupo de intelectuais e simpatizantes da causa literária começou a se reunir visando o restabelecimento da associação literária considerada o símbolo da literatura gaúcha: O bravo e respeitado Partenon Literário. Liderada por Serafim de Lima Filho, a renomada instituição voltou a funcionar encontrando eco nos seus ideais e pronta para dar sua colaboração em prol do enriquecimento da nossa literatura.

Serafim de Lima nasceu na localidade de São Manoel, distrito de Cruz Alta, sendo filho de Serafim Francisco de Lima e de Acelina Gomes. Desde cedo aprendeu o ofício de tipografia e impressão, trabalhando depois no jornal “A Hora” e no “Diário Oficial do Estado”. Depois de aposentado se dedicou à reativação do Partenon Literário. E Se hoje estamos realizando palestras, transferindo conhecimento, animando saraus e publicando livros, deve-se muito a ele, que sempre acreditou neste sonho.

Este é o personagem que iremos homenagear às 19h do dia 31 de maio, terça-feira, na sede administrativa do Partenon Literário (Rua Plácido de Castro, 154 – Porto Alegre).

A atual diretoria, numa decisão histórica, irá concretizar esta homenagem justa e vitalícia. Sendo assim, convidamos todos os sócios para prestigiar esta homenagem através da Entrega do título de Presidente de Honra do Partenon Literário a Serafim de Lima Filho. Também durante o evento será apresentado em primeira mão o Hino oficial do Partenon Literário, com letra de Carlos Rampanelli e música de Antonio Frizon.

Aguardamos sua presença neste dia especial para todos nós.

APOIO:
Jornal RSLetras – Instituto Cultural Português – Instituto Cultural Lobo da Costa – Academia Letras Brasil – ALAPOA

UM MUNDO FENOMÊNICO

CONVITE

O IFPA de Belém do Pará (antigo CEFET), através de seu Núcleo Pindorama de ações culturais, convida-lhe para a exposição Um Mundo Fenomênico, do artista visual e escritor brasileiro Tchello d’Barros.

SERVIÇO

Quê: Exposição de fotografias Um Mundo Fenomênico
Quem: Escritor e artista visual Tchello d’Barros (SC/PA)
Quando: 13.04.2011 quarta-feira
Início: 19h
Ingresso: Entrada Franca
Visitação: 13.04 à 28.05.11
Horários: 08 às 22h – segunda a sexta-feira
Local: Espaço de exposições da Biblioteca do IFPA
Av. Alm. Barroso, 1155 (antigo Cefet) Belém – PA
Texto crítico: Jiddu Saldanha (RJ)
Montagem: Núcleo Pindorama | IFPA
Curadoria: André Leite Ferreira (PA)

PROGRAMAÇÃO

Abertura: 13.04.2011 quarta-feira
14h – No mini-auditório da Biblioteca do IFPA
Palestra ‘Cordel e Contemporaneidade’
c/ Tchello d’Barros
19h – No mini-auditório da Biblioteca do IFPA
– Sarau-de-bolso c/ artistas convidados:
– Instrumental acústico c/ Miguel Cassiano
– Performance «Poema ao Pé do Ouvido»
(poemas de Tchello d’Barros) c/ Quexinho,
Josiane Nascimento e Joyce da Conceição
– Projeção de vídeos do autor e debate-papo
20h – No 2º piso da Biblioteca do IFPA
– Abertura da exposição fotográfica
– Lançamento de Cordéis de Tchello d’Barros

AÇÃO CULTURAL MULTILINGUAGENS

O autor em Belém
Tchello d’Barros escolheu Belém do Pará como sede para suas novas produções. Há mais de uma década que o artista visita a cidade das mangueiras, mas depois de realizar em 2010 a primeira exposição individual de Poesia Visual aqui no Estado (na Galeria Graça Landeira, curada por Emanuel Franco) resolveu fincar raízes e aos poucos vem se integrando na cena cultural. Além de editar uma revista, participa do projeto de residências artísticas do Espaço Cultural Corredor da Amazônia, das atividades literárias do Instituto Cultural Extremo Norte e realiza atividades voltadas para a literatura de cordel com o poeta Apolo de Caratateua.

Conceito
A mostra apresenta uma seleção de 30 fotografias P&B selecionadas da série Um Mundo Fenomênico, que Tchello d’Barros desenvolve há cinco anos, clicando em suas viagens pelo Brasil e Exterior. São objetos e cenários que, apesar da ausência do ser humano, denotam aspectos do cotidiano numa narrativa de costumes e hábitos que jogam com a imaginação decifradora dos visitantes da mostra. É um contraponto à exposição de 2010 apresentada em Vitória ES, onde todas as imagens tem o ser humano como motivo. A opção pelo P&B sugere uma interpretação da realidade, um recorte monocromático das cenas e lugares visitados. Mais que revelar, a série pretende sugerir, permitir ilações e deduções, ficcionais ou não. A ausência da cor propõe também um possível diálogo com a obra de fotógrafos referenciais para o autor, como Henry Cartier Bresson, Pierre Verger e Robert Doisnot, que também realizavam fotografia de rua e registro de viagens.

Vídeos
Para que os visitantes da exposição possam criar uma relação da coleção de imagens apresentada com outras produções do autor, haverá no auditório da Biblioteca do IFPA, um colóquio com Tchello d’Barros, debate-papo mediado pelo curador André Leite Ferreira, com participação dos artistas multilinguagens Karlo Rômulo e Marcos Smith, onde serão projetados vídeo-poemas e séries de gravuras, pinturas e fotografias de outras fases do autor. Depois da apresentação de instrumental acústico com o violino de Miguel Cassiano, haverá uma visita guiada oficializando a abertura da mostra. Após o término do período da exposição será veiculado no Youtube o vídeo-documentário Um Mundo Fenomênico, registrando essa ação multicultural realizada em Belém do Pará.

Poesia
Apesar da produção literária do autor em diversas modalidades, há um apreço especial pela literatura de cordel, tema de pesquisa, coleção e produção. Para tanto, o escritor estará ministrando no dia da abertura da mostra a palestra Cordel e Contemporaneidade e durante o evento estará autografando uma edição especial de seus cordéis: O Justo Destino do Pistoleiro Justino; O Mistério de Blém-blém e os Fantasmas de Jaraguá; A Feira do Passarinho de Maceió; O Matuto que se Espantou com as Mulheres do Recife; e O Papagaio. Mas a poesia autoral de Tchello d’Barros será também apresentada na performance “Poema ao Pé do Ouvido”, intervenção cênica dirigida pelo ator mineiro Quexinho e protagonizada pelas atrizes paraenses Josiane Nascimento e Joyce da Conceição, durante o coquetel do evento de abertura.

TEXTO CRÍTICO
A Ousadia do Enquadramento
por Jiddu Saldanha*

Quando nos deparamos com um artista comprometido com o que faz e percebemos a qualidade de seu trabalho, podemos também respirar aliviados por que nosso tempo será bem empregado e certamente iremos nos transformar/transfigurar. Tchello d’Barros é um artista que viaja pelas estradas do mundo e, no entanto, para nós, ele é a viagem e ao mesmo tempo quem descortina a paisagem que brota do ato criativo. Mergulhar em seu trabalho é percorrer caminhos, cruzar pontes, transpor margens e chegar a algo repleto de essência, lá onde o ato realizador e o rigor formal se transfundem em momento ímpar.

A profusão de temas que brotam dos cliques de Tchello d’Barros são inspiradores e parece buscar um olhar imaginativo: um espectador disposto a recriar cada foto no imaginário através de histórias cujo start é dado pela sugestão da cena. Vemos uma mão que toca um violão, uma estátua contra o sol, dedos que tecem uma rede de pesca, velas acesas, barcos vazios, cavalos em contraste como que num diálogo cósmico e uma rua bucólica iluminada por focos de luzes que mais parecem aura de anjos.

De um modo geral o que temos são cenas que bem poderiam detonar a criação de um filme, retratos inusitados obtidos pelo inquieto tanger de um caminhante. É como se cada fotografia estivesse pronta para continuar numa cena animada. O quadro escolhido é apenas sugestão, a foto continua se construindo em nosso imaginário.

Um Mundo Fenomênico é uma série monumental de imagens, que nos dão uma leitura ampla a partir de um recorte, que bem podemos nominar como a poética de um criador, neste caso, Tchello d’Barros, uma espécie de caixeiro viajante das estrelas, que traz a tiracolo um embornal de encantamento e ao qual oferece ao mundo todo um conteúdo que faz brilhar nossos olhares, as vezes tão cansados da poluição visual que grassa pelo universo humano.

Ao entrar em contato com as fotografias do autor, o espectador mergulhará no melhor da fotografia contemporânea, com enquadramentos ousados, imagens inusitadas e muita propriedade na escolha dos motivos. Aqui, nada poderá ser ignorado, Tchello d’Barros é extremamente meticuloso, cuidadoso e seu rigor observacional fará o expectador sentir-se respeitado por dedos que clicam com a mesma inquietação com que o olhar olha.

*Poeta, artista visual e produtor cultural
Cabo Frio RJ – Abril 2011

DEPOIMENTO DO AUTOR
“A série fotográfica Um Mundo Fenomênico diferencia-se de minhas produções em artes visuais e literatura, não só na linguagem mas também nas escolhas temáticas e respectivas abordagens. Vivemos um tempo de hiperinformação midiática, poluição visual e afetividades mediadas pelas recentes tecnologias virtuais. A produção dessa série de imagens não pretende negar nada disso, mas perpassa um conceito de extemporaneidade, como que em deslocamentos de nosso tempo presente ou lugar em que vivemos. As imagens são também um extrato visual de minhas viagens pelo Brasil e Exterior, onde o cotidiano do homem contemporâneo é flagrado de forma inusitada, em seus aspectos poéticos, dramáticos, culturais, sociopolíticos etc. O ser humano apesar de não aparecer nas imagens, tem sua presença sempre sugerida pelos objetos e cenários fotografados, dialogando assim com a imaginação do observador, co-autor deste um mundo transitório, fenomênico. A coleção de imagens constitui-se numa crônica pessoal com recortes da contemporaneidade, editada pelo olhar de viajante do autor mas mediada pelo que mais interessa: a imaginação curiosa, decifradora e ficcional do expectador.” Tchello d’Barros

SOBRE O AUTOR
Tchello d’Barros (Brunópolis/SC, 1967) é escritor, artista visual e viajante. Residiu em 12 cidades, percorreu 20 países em constantes pesquisas na área cultural e desde 2010 está radicado em Belém/PA.

Na Literatura, publicou meia-dúzia de livros de poemas, diversos cordéis e publica regularmente poemas, contos, crônicas e artigos em mídias impressas e virtuais, tendo escritos publicados em mais de 50 coletâneas e antologias. É membro de diversas entidades culturais e eventualmente realiza palestras e oficinas literárias.

Nas Artes Visuais, participou de cerca de 70 exposições, entre individuais e coletivas, com obras em desenho, pintura, infogravura, fotografia, instalação e poesia visual. Como designer, desenvolveu criações gráficas para agências de publicidade, desenhos para o segmento de moda e ilustrações para o meio editorial. Atualmente dedica-se a fotografar e desenhar temas da Amazônia.

CULMINÓ EXITOSAMENTE EL VII ENCUENTRO INTERNACIONAL DE ESCRITORES EN TINOGASTA – CATAMARCA – ARGENTINA – 2011

Sábado, 19 al miercoles 23 de marzo de 2011.
“Las letras unen a los pueblos”, fue el lema del VII Encuentro Internacional de Escritores y Poetas, organizado por el Instituto Superior de Arte (ISA) en la ciudad de Tinogasta, Catamarca – Argentina.

Doce escritores chilenos componían la delegación de la Sociedad de Escritores de Chile (SECH): Poetas, narradores, investigadores: Patricia Pinchón Vega, Santiago; Melania Tello Romero, Santiago; María del Pilar Núñez; Luis E. Aguilera, La serena; Pedro Ulises Mora Ortiz; Gladys Quiroz Carche, María Elizabeth Ramos Araya, Melipilla, Edmundo Herrera Zúñiga; María Guadalupe Becerra Quezada, Loncoche.
Cada uno de ellos participaron activamente en cada una de las actividades organizada por el comité organizador del encuentro.
Asimismo llegaron aproximadamente cuarenta y ocho escritores argentinos de diferentes provincias de Argentina.
Debemos destacar que desde 1969, El Instituto Superior de Arte se encuentra al servicio de la cultura, enseñanza de música, organización de eventos culturales -como es el caso del VII Encuentro Internacional de Escritores y Poetas en Tinogasta-, talleres culturales, Ferias del libro.
Se debatieron interesantes temas, se participó en cafés literarios, peñas folklóricas, recitales poéticos, charlas, se visitó hogares de adultos mayores, niños con capacidad diferentes, escuelas en diferentes ciudades, se compartió en cada una de los desayunos, almuerzos y cenas. Fue una interesante ocasión para el encuentro y el reencuentro.
Pienso que todos los objetivos fundamentales del comité organizador se cumplieron con creces, incluso más allá de lo esperado. Un encuentro y reencuentro siempre saludable de poetas, narradores, ensayistas, hombres y mujeres de la literatura y de otras artes.
Este evento de carácter nacional e internacional, organizado por el Comité Ejecutivo del VII Encuentro en Tinogasta, Catamarca, Argentina 2011, se desenvolvió en diferentes espacios: (Palo Blanco, Fiambalá, Villa Lujan, Santa Rosa y Tinogasta) desde el sábado 19 al sábado 24 de Marzo del 2011.
Debemos destacar la participación de cada uno de los escritores Chilenos, que componían la delegación. Por ese gran esfuerzo desplegado, que se inició la noche del jueves 17 de marzo, a las 11.00 horas, Terminal de Buses Los Héroes, Santiago; donde se hizo presente el Presidente Nacional de la Sociedad de Escritores de Chile, él escritor, Reynaldo Lacámará Calaf, para despedir oficialmente a los delegados de nuestra Institución al encuentro.

Llegamos al amanecer del día 18 de Marzo, 06,30 horas, a la ciudad de Mendoza, para tomar bus a la ciudad de La Rioja, -pasando antes por la ciudad de San Juan-, a la cual llegamos a las 16,20 horas. En este lugar esperamos la llegada de La Vice Intendenta de Tinogasta, Señora Norma Tevez de Cerezos, quien tubo la amabilidad de recógenos en el Terminar de La Rioja e iniciar viaje a la ciudad de destino Tinogasta. Si bien es cierto, fue un viaje cansador, por la cantidad de hora empleada en ello, nos resultó tremendamente agradable e interesante, por la amistad, compañerismos y solidaridad que se desprendió y aportó cada uno de los delegados, quienes competieron en todo instante.

Ricardo Kelly Carrizo, y Cristina Quintar, nos esperaban en la ciudad, amigos generosos y amables, ellos componían en parte el comité ejecutivo del VII Encuentro. Debemos mencionar que la tarea empezaba y la culminaron exitosamente.

Y efectivamente La Revista “Portal”, que dirige la conocida escritora Marina Latorre Uribe, llegó a la ciudad de Tinogasta – Catamarca – Argentina. La Revista Portal fue entregada a las autoridades y escritores de diferentes provincias de Argentina, todos ellos tuvieron palabras de elogio a la importante publicación de literatura. Además, los escritores Edmundo Herrera y Marina Latorre fueron nombrados Huésped de Honor, de la ciudad autónoma de Tinogasta por decreto, en el marco del la organización del VII encuentro internacional de escritores y poetas, organizado por el Instituto Superior de Arte. Llevado a efecto entre los días 19 al 23 de marzo del presente. Nominación que fue toda una alegría para cada uno de los escritores delegados compuesta por los doce escritores Chilenos que participaron en cada una de las actividades organizadas.

Finalmente, queremos dar todos los escritores chilenos participante, las gracias a cada uno de los miembros del comité organizador, Ricardo Kelly Carrizo, Cristina Quintar, Natalia Carrizo, Mauro Carrizo y toda su familia que es el conjunto activador del encuentro. A la Vise Intendenta Norma Tevez de Cerezo, Jorge Carrizo. A la ilustre Intendencia de Tinogasta, Palo Blanco, Juanita Saleme, Gobierno Nacional, a todos y cada uno de los que hicieron posible este importante encuentro -que ya se ha puesto los pantalones largo- en el desarrollo cultural de la literatura Argentina.

¡Gracias a cada uno de Uds.! ¡Muchas gracias!

Luis E. Aguilera

ÁLVARES DE AZEVEDO DE BOLSO: LANÇAMENTO DO LIVRO E SARAU POÉTICO-MUSICAL

Convidamos toda comunidade cultural do Estado do Rio Grande do Sul para prestigiar o lançamento do livro

ÁLVARES DE AZEVEDO DE BOLSO

Obra do pesquisador e presidente do Partenon Literário, Benedito Saldanha

Dia 12 de abril de 2011, terça-feira, às 19h
Centro Cultural CEEE/Erico Verissimo – 4º andar
Rua dos Andradas, 1223 – Centro de Porto Alegre
Rio Grande do Sul – Brasil

Durante a sessão de autógrafos será apresentado um Sarau Poético-Musical em homenagem ao maior poeta do romantismo nacional, Álvares de Azevedo.

Contamos com sua presença.

Entrada Franca

Participações Especiais: Francisco Castro, Nabil Kansao, Bira JR, Paulo Bacedônio, Daniel Brasil.

APOIO: ALAPOA – Clube Literário Jardim Ipiranga – Jornal RSLetras – Sociedade Partenon Literário – Instituto Cultural Português -Instituto Cultural Lobo da Costa – Casa do Poeta Latino-americano – Centro Cultural CEEE Erico Verissimo – Academia Letras do Brasil – Memorial da Câmara Municipal

MOVIMENTO FALA BRASIL

Visite o blog e conheça o Movimento Fala Brasil:

http://falabrasilcultura.wordpress.com

Em breve lançamento do nosso SITE oficial.

Agradecemos. JUNTOS. SOMOS MUITOS!

no Twitter: @jfalabrasil

no Facebook: Fala Brasil Cultura (1 e 2)

Coordenadora: RÔScherer

Movimento Fala Brasil 100% Cultura

Contato: 51. 3228.4382

“POETISAS DO BRASIL” – SARAU NA CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE PORTO ALEGRE

CONVITE

Convidamos toda comunidade cultural de Porto Alegre para prestigiar a Homenagem à Semana da Mulher na Câmara de Vereadores.
A festividade começa às 14h com a abertura da exposição Poetisas do Brasil.
Logo após será apresentado o Sarau de mesmo nome com poetas, músicos e participação especial do cantor Paulo Henrique – o PH.
A programação festiva em homenagem à mulher realizar-se às 14h do dia 10 de março, quinta-feira, na Câmara de Vereadores de Porto Alegre.
Durante o Sarau será entregue o Diploma “Mulheres de Destaque 2011”.

Contamos com sua presença.

PROMOÇÃO: Academia de Letras e Artes de Porto Alegre & Clube Literário do Jardim Ipiranga

ENTRADA FRANCA

PRODUÇÃO: 9336-6540

SARAU COM RITMO: HOMENAGEM A LILA RIPOLL

PROJETO SARAU COM RITMO

Homenagem à Poetisa Lila Ripoll

Uma das principais vozes da poesia gaúcha

A Academia de Letras e Artes de Porto Alegre em parceria com o Clube Literário Jardim Ipiranga promove no dia 1º de março, terça-feira, na cidade de Porto Alegre, mais uma edição do Sarau com Ritmo, com apresentações de poetas da capital, debates e exibição de vídeo.

O QUÊ
Sarau poético em homenagem à poetisa gaúcha Lila Ripoll. Também durante o evento haverá estande para venda de livros e exibição de vídeo sobre a artista homenageada.

QUEM
Apresentação de poetas e artistas de sociedades culturais da capital

QUANDO
1º de março de 2011, terça-feira, às 19 h Entrada Franca

ONDE
Centro Cultural CEEE Erico Verissimo (Sala O Retrato) Rua dos Andradas, 1223, Porto Alegre.

Contatos: Fones 9336-6540 / 3446-2652 ou expressoletras@yahoo.com.br
Poetisa, professora, jornalista e pianista. Militante comunista. Nasceu em Quaraí, a 12 de agosto de 1905. Colaborou no “Correio do Povo” e na “Revista Universitária”. Editou a “Revista Horizonte” (1951). Na década de 1930 foi diretora do Departamento Cultural do Sindicato dos Metalúrgicos, onde militou pelo Partido Comunista. Participou, em 1951, no grupo Partidários da Paz, com Graciliano Ramos, Dyonelio Machado e Laci Osório. Revolucionária convicta e militante, atuou também no Centro dos Professores e no Grupo de Arte, fundado por ela para a promoção de espetáculos teatrais. Foi presa após o golpe militar de 1964, e libertada em seguida por motivo de doença. Entre seus livros destaca-se Novos poemas (poesia), de 1951, obra vencedora do prêmio Pablo Neruda da Paz. Faleceu em 1967, vítima de câncer.

OBRAS
De mãos postas (poesia). Porto Alegre: Livraria do Globo, 1938. Céu vazio (poesia). Porto Alegre: Livraria do Globo, 1941 (Obra vencedora do prêmio Olavo Bilac Da Academia Brasileira de Letras). Por quê? (poesia). Rio de Janeiro: José Olympio, 1947. Novos poemas (poesia). Porto Alegre: Horizonte, 1951 (Obra vencedora do prêmio Pablo Neruda da Paz). Primeiro de maio (poesia). Porto Alegre: Horizonte, 1954. Poemas e canções (poesia). Porto Alegre: Horizonte, 1957. Um colar de vidro (peça teatral inédita). Porto Alegre: 1958. O coração descoberto (poesia). Rio de Janeiro: Vitória, 1961. Águas móveis (poesia). Inédito de 1965. “Poesias”. In: Cadernos do extremo sul. Alegrete: s/ed., 1967. Antologia poética Rio de Janeiro: Leitura; Instituto Nacional do Livro / MEC, 1968 (edição póstuma).

COORDENAÇÃO
Benedito Saldanha & Adroaldo Barboza