Francisco Germano Dee, poeta do Arquipélago da Madeira

A UMA DAMA

(Imitado de Victor Hugo)

Donzella, s’eu fôra rei,
oh! de bom grado daria
toda a rica pedraria,
de valor… que nem eu sei!…
E nem só joias, e oiro,
mas outro maior thesoiro:
meu septro e c’roa de rei
por um só olhar dos teus!…
Se rei não fôra, mas Deus,
daria os mares, e a terra,
e os milhões d’astros que encerra
o amplo espaço dos céos;
os sons do mar gemebundo,
a eternidade e o mundo,
tudo, tudo te daria
por um só beijo dos teus!…

Francisco Germano Dee, pseudônimo de Germano Francisco de Barros Henriques (1805-1856)
Nasceu no Estreito de Câmara de Lobos, Arquipélago da Madeira. Poeta, escrivão, professor público. Distinguiu-se ainda como poliglota, falando corretamente latim, francês, inglês e espanhol. Seguiu a escola literária de Filinto Elísio. Faleceu em 1856, vítima de uma epidemia de cólera. Escreveu um livro intitulado “Lições de arte poética” e colaborou em “A Discussão” e no “Novo Almanaque Luso-Brasileiro”.

Published in: on abril 15, 2009 at 6:46 am  Deixe um comentário  
Tags: , ,