A AMAZONA

Junto a um negro corcel ei-la fitando
Um velho pagem que, medroso, a encara;
E, num ímpeto, o junco levantando,
Zurze do pagem fortemente a cara!

Não se movera o velho; o olhar baixando
Toda a raiva e vergonha disfarçara,
Enquanto ela não viu solta, rolando
Ir sobre a areia a sua liga clara.

Depois agita a cabeleira altiva,
Salta no dorso do ginete bravo
E, rindo, a espora sobre as ancas criva…

Vendo-a sumir-se pela estrada afora,
O velho pagem, namorado escravo,
Apanha a liga, beija-a… beija-a… e chora!

Leopoldo Souza (1871-1897)
De nome completo Leopoldo Augusto de Souza. Nasceu a 4 de fevereiro de 1871, na cidade de São Luiz, capital do Estado do Maranhão, Brasil, e faleceu a 23 de junho de 1897. Poeta, jornalista e funcionário postal no Estado do Pará. Obra poética: Sombras (1890).

Anúncios
Published in: on setembro 19, 2009 at 12:56 am  Deixe um comentário  
Tags: , , ,

The URI to TrackBack this entry is: https://farolante.wordpress.com/2009/09/19/a-amazona/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: