Poema de Ernesto Silva

ESCUTA

Ernesto Silva (1855-1909). Nasceu em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Poeta, teatrólogo e farmacêutico. Um dos fundadores da Academia Rio-Grandense de Letras, em 1901.

Escuta, Eulina, vem cismar comigo
A tarde é linda nos vergéis do sul.
Não vês?… suspira o gaturamo alegre
no prado brinca a borboleta azul.

Escuta, Eulina, vem cismar comigo
Reclina a fronte no meu peito… assim…
Ali – floresce o jasmineiro, a rosa,
Aqui – dormita o meu amor sem fim.

Escuta, Eulina, vem cismar comigo
Lá surge a lua com gentil palor.
Beijando as nuvens no cendal de prata
Cintila a estrela com sorrir de amor.

Escuta, Eulina, vem cismar comigo
A vaga ondula nos parcéis do mar
A brisa corre na solidão do bosque
Levando as folhas no veloz passar.

Escuta, Eulina, vem cismar comigo
Minh’alma chora a rua ausência aqui;
Ai! não demores que esta vida é breve
E a minha espr’ança se resume em ti!

Escuta, Eulina, vem cismar comigo,
Desponta a aurora no infinito azul
A minha sombra te beijando o rosto
corramos juntos os vergéis do sul!

Anúncios
Published in: on abril 7, 2009 at 7:14 am  Deixe um comentário  
Tags: ,

The URI to TrackBack this entry is: https://farolante.wordpress.com/2009/04/07/poema-de-ernesto-silva/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: