Poema de Damasceno Vieira

A VELHA IDEIA

Damasceno Vieira (1850-1910). Nasceu em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil.

Eu ia caminhando a passos lentos
Sobre a arenosa costa do oceano,
Ouvindo o murmurar profundo, insano
Das ondas em frenéticos lamentos.

E vi, na brava luta dos elementos,
As brancas flores do agitado arcano
– as espumas – com gesto soberano
Querer vencer da vaga os movimentos.

Mas, belas como a luz, as orgulhosas
Morriam sobre a praia… Ó velha ideia,
Debalde impões-te às massas vigorosas!

És como espuma inútil que se alteia
Sobre o dorso das vagas revoltosas:
– não deixas traço na deserta areia!

Anúncios
Published in: on abril 7, 2009 at 7:08 am  Deixe um comentário  
Tags: , ,

The URI to TrackBack this entry is: https://farolante.wordpress.com/2009/04/07/poema-de-damasceno-vieira/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: